O Brasil vai começar a trabalhar com o bem-estar de aves de postura, incentivando os sistemas sem gaiolas ou com gaiolas mobiliadas, que hoje são regras na Europa. A informação é da coordenadora da Comissão de Bem-Estar Animal (CTBEA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Lizie Buss.

A CTBEA representou o Brasil no Better Training For Safe Food (BTSF), programa de treinamento para veterinários do serviço oficial, em Crieff, na Escócia, no mês passado. Lizie Buss participou do treinamento, no qual foram apresentadas as técnicas usadas pelos europeus.

Segundo ela, o método de alojamento permitido na Europa são gaiolas mobiliadas, galpões com multiníveis e free-range.
 
No caso do uso de gaiolas mobiliadas, há espaço de 750cm² por ave, com poleiros e local reservado para o ninho.

A superfície de piso do ninho é forrada de forma que as aves não permaneçam em contato com a grade do piso da gaiola e com tapete para ciscar com elemento para desgaste de unhas, além de comedouros e bebedouros.

Europa

“Na Europa, o uso de gaiolas de bateria não é mais permitido e a debicagem com lâmina quente também é proibida na maioria dos países”, disse Lizie.

O sistema de galpões, de acordo com a coordenadora, de multiníveis são sem gaiolas, com prateleiras em diversos níveis, permitindo que as aves subam, desçam e acessem o substrato do piso, com ninhos, poleiros, comedouros e bebedouros.
 
“O sistema abordado é o free-range, no qual aves são criadas em galpões com acesso ao ar livre para encorajar a expressão de comportamentos naturais, como banho de areia, ciscar, empleirar-se, entre outros”, acrescentou Lizie.

A CTBEA participou da última reunião da Câmara Setorial de Aves e Suínos. Na ocasião, apresentou os resultados do treinamento e buscou informações do setor, visando uma aproximação voltado ao trabalho integrado e conjunto.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de comunicação social
(61) 3218-22-3/2204
Cláudia Lafetá
claudia.lafeta@agricultura.gov.br