Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Treinamento internacional para emergência sanitária em febre aftosa envolve 90 propriedades no Paraná

Notícias

Treinamento internacional para emergência sanitária em febre aftosa envolve 90 propriedades no Paraná

Simulado

Além das visitas de vigilância às propriedades rurais, o simulado teve práticas de biossegurança, investigação epidemiológica e saneamento
publicado: 20/08/2019 12h09 última modificação: 20/08/2019 16h39

Com a mobilização de rebanhos de 90 fazendas e a participação da Defesa Civil e da Polícia Militar do Estado do Paraná, foi realizado entre os dias 11 e 16 de agosto, em São José dos Pinhais (PR), simulado para treinamento de resposta a um foco de febre aftosa. O cenário foi o mais real possível, para as ações de contenção e atenção a um foco da doença.

A iniciativa, organizada pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), faz parte das atividades previstas no convênio de cooperação técnica entre o Comitê Veterinário Permanente do Mercosul (CVP) e o Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID), no Programa de Apoio para Capacitação dos Serviços Veterinários de Cone Sul para a última etapa do Plano Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (PHEFA).

Participaram 178 profissionais, incluindo integrantes do serviço veterinário oficial de 25 unidades da Federação; da Argentina, Bolívia, do Chile, Paraguai e Uruguai; e do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa).

Além das visitas de vigilância às propriedades rurais – onde foram simulados três focos fictícios –, o treinamento envolveu as práticas de biossegurança, investigação epidemiológica e saneamento de focos dentro do plano de contingência para uma situação real; foram colhidas e enviadas amostras para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA), em Pedro Leopoldo (MG), referência no diagnóstico da febre aftosa; e implantados postos de controle do trânsito de animais e produtos.

Graças ao uso de drones da Defesa Civil do Parará, foram geradas imagens em tempo real das ações nas propriedades rurais e nas barreiras de controle de trânsito, que abordaram cerca de 500 veículos.

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes, “o objetivo do treinamento foi a preparação para enfrentar uma eventual ocorrência de febre aftosa, mas as medidas demonstradas na teoria, e depois na prática, servem para todas as doenças emergenciais, como a peste suína clássica, peste suína africana, influenza aviária, entre outras. Os protocolos sanitários são semelhantes, e o caráter de emergência é o mesmo”.

“Os resultados foram muito bons e foi fortalecida a preparação do serviço veterinário brasileiro para enfrentamento de uma emergência de febre aftosa, componente fundamental para a futura retirada da vacinação contra a doença”, completou Moraes.

O simulado permitiu avaliar os procedimentos previstos e, até o final do ano, estará concluída uma nova versão do plano de contingência para a doença, incluindo sugestões colhidas no simulado.

Durante o exercício, foi implantado o Centro de Operações de Emergência Zoosanitária (Coezoo), onde foram definidas e colocadas em prática toda a estrutura organizacional de gestão de emergências e as medidas necessárias de contenção dos focos no menor tempo possível, conforme previsto no Plano de Contingência para febre aftosa.

 Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
Janete Lima
imprensa@agricultura.gov.br