Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Secretário de Política Agrícola participa de Estradeiro na BR 163

Notícias

Secretário de Política Agrícola participa de Estradeiro na BR 163

Infraestrutura

Objetivo é verificar condições de trafegabilidade da rodovia, importante corredor de escoamento das safras de grãos do MT
publicado: 17/11/2017 17h31 última modificação: 22/11/2017 18h11
Pelo corredor deverão escoar cerca de 8 milhões de toneladas de grãos neste ano

Pelo corredor deverão escoar cerca de 8 milhões de toneladas de grãos neste ano

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, parlamentares e prefeitos da região norte de Mato Grosso participarão a partir da próxima quinta-feira (23) do Estradeiro da Integração, organizado pela Prefeitura Municipal de Alta Floresta. O objetivo é verificar as condições de trafegabilidade da BR 163, importante via de escoamento das safras de grãos do estado.

Neste ano deve ser escoado um volume próximo a 8 milhões de toneladas de soja e de milho pelo corredor. A capacidade de transbordo dos terminais em Miritituba, no Pará, é de 16,5 milhões de toneladas, enquanto a soma da disponibilidade portuária de exportação de todos os portos do estado é de 21,5 milhões de toneladas.

O Estradeiro terá início no município de Alta Floresta, passando por Guarantã do Norte em direção à divisa com o Pará. Naquele estado a comitiva passará por Novo Progresso, em direção às estações de Transbordo de Miritituba, no município de Itaituba. De lá, seguirá em direção ao terminal portuário da Cargill, em Santarém, término da BR 163. Ao todo, o percurso de três dias será de cerca de 1.270 km.

A BR 163

A BR 163, mais conhecida como Rodovia Cuiabá-Santarém, começou a ser construída na década de 1970 no estado mato-grossense, mas hoje se estende do município gaúcho de Tenente Portela até Santarém (PA). Ao todo, são 3.470 km de extensão. Em março de 2014, dois trechos foram privatizados - um em Mato Grosso do Sul e outro em Mato Grosso. A rodovia é toda pavimentada, à exceção do Pará, onde a falta de asfalto causa prejuízos ao escoamento da produção agrícola de Mato Grosso, o maior produtor de grãos do país. Os altos índices pluviométricos da região contribuem para dificultar os trabalhos de asfaltamento.

Neste ano, o Exército Brasileiro assumiu parte da tarefa para concluir as obras, o que deve acontecer nos próximos anos. O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil destinou R$ 128,5 milhões do orçamento de 2017para obras no trecho paraense, de 65 km entre Novo Progresso e Igarapé do Lauro. A BR, juntamente com as hidrovias dos rios Tapajós e Amazonas, constituem a principal rota de acesso aos portos do Pará e do Amapá, que integram o denominado Arco Norte.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br