Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Secretário contesta estudo do WWF sobre consumo de pescado no Brasil

Notícias

Secretário contesta estudo do WWF sobre consumo de pescado no Brasil

Pesca

Faltam estatísticas atualizadas, diz Jorge Seif: “Onde eles basearam as informações da pesquisa?”
publicado: 05/04/2019 17h15 última modificação: 05/04/2019 17h59

O secretário da Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Jorge Seif, contestou nesta sexta-feira (05) dados do Guia de Consumo Responsável de Pescado Brasil, lançado pela seção brasileira do Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Brasil). O documento destaca sobrepesca e falta de gestão pesqueira como alguns dos principais problemas da atividade desenvolvida no país. Seif pôs em dúvida a base das informações usadas pelo WWF, pois a última estatística pesqueira realizada no país é de 2011 e não há dados atualizados.

“Não se tem estatística pesqueira desde 2011. Eles estão baseando essas informações onde? Não tem base! A estatística é governamental, as universidades pararam de fazer pesquisas. Eles fizeram com base em que esse relatório? Fizeram pesquisa independente? Registrada onde? Com que autenticidade, com que auditoria?”, quastiona o secretário.

Seif disse concordar com as críticas do WWF a governos anteriores. Mas afirmou que o governo do presidente Jair Bolsonaro “já deu todos os sinais de que estamos vivendo um novo momento”. Uma das primeiras medidas de Bolsonaro, lembrou ele, foi retirar o setor de pesca do controle do Meio Ambiente e transferi-lo para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“Os governos anteriores falharam com a aquicultura e a pesca? Falharam grave! O governo fez o que há 29 anos ninguém tinha feito, retirar o compartilhamento da pesca de junto do Ministério do Meio Ambiente, o que travava todo o ordenamento pesqueiro no Brasil”.

Para o secretário, a dívida com a pesca é impagável, mas o governo tem o compromisso de reparar essa dívida. A SAP está trabalhando com um Plano Estratégico de oito metas para os quatro anos de governo. A principal é revigorar as estatísticas pesqueiras com um protocolo de rastreabilidade. “Está sendo elaborado um sistema de informações sobre as embarcações brasileiras. O trabalho vai envolver a Marinha do Brasil no recadastramento e monitoramento das embarcações. Novas diretrizes serão estabelecidas para pesca extrativa no Brasil”, ressaltou ele.

Com a implantação do projeto, todas as embarcações pesqueiras serão rastreadas, envolvendo a pesca artesanal e a pesca profissional. Seif explica a importância do monitoramento para o país: “O Brasil é uma grande potência, mas se não souber o que é capturado, onde se captura, quem e como captura, não é possível fazer políticas públicas adequadas”.

Sobre a aquicultura, o secretário destacou que o trabalho está sendo uma novidade, mas bem pautado por entidades e empresários. Apesar dos descasos com a aquicultura em governos anteriores, ele disse que o setor já está bem estabelecido. “O trabalho do novo governo é ajudar o setor a crescer ainda mais”, disse o secretário.

Seif se queixou que os autores do estudo poderiam ter procurado a secretaria para discutir os dados. Mas revelou ter projetos para propor de parceria com o WWF.

Clique aqui para ouvir a matéria da Rádio Mapa

 

Mais informações à imprensa:

Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br