Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Produção de açaí deve ter mais assistência técnica e investimentos

Notícias

Produção de açaí deve ter mais assistência técnica e investimentos

Pará

Instituições públicas trabalham para melhorar o mercado do produto, com foco na logística e na qualidade final
publicado: 22/02/2017 19h06 última modificação: 23/02/2017 17h10
Agregar valor e aumentar renda dos trabalhadores são desafios, disse Pedro Neto

Agregar valor e aumentar renda dos trabalhadores são desafios, disse Pedro Neto

O melhoramento do material genético, a introdução de boas práticas de cultivo e de manejo, incluindo a sustentabilidade, e aumento da assistência técnica deverão impulsionar a cadeia produtiva do açaí. O secretário substituto de Mobilidade e Cooperativismo, Pedro Neto, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, disse que instituições ligadas ao desenvolvimento do setor  trabalham para agregar valor ao produto, melhorar as condições de mercado e a renda dos produtores.

O açaí é fonte de renda de cerca de 13.000 produtores no Pará, tendo grande importância socioeconômica no estado, que é o maior produtor, envolvendo 300 mil pessoas de 54 municípios.  O cultivo do açaizeiro no Pará  movimenta mais de R$ 3 bilhões por ano. Para encontrar soluções de problemas ligados ao transporte, acondicionamento, segurança e de controle de qualidade, representantes de instituições públicas se reuniram no ministério, na terça-feira (21). Foi destacada também a necessidade de investir em equipamentos, na automação da agroindústria e na pasteurização.

Neto, disse que está sendo elaborado plano de trabalho que inclui ações imediatas e de médio prazo para melhorar as condições de produção do açaí.  Além de integrantes do Mapa, participaram do encontro, técnicos do Ministério da Integração Nacional (MI), da Conab, da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), da Embrapa Nacional e Amazônia Oriental, do Sebrae,  da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca e da Secretaria Municipal de Saúde de Belém.

Um dos problemas enfrentados no Pará é a contaminação microbiológica e por barbeiro. Para melhorar esse quadro, a secretaria de Saúde  da capital, criou em 2015 a Casa do Açaí, com o objetivo de capacitar os batedores de açaí, orientar e incentivar boas práticas a  doença de chagas.  Foram orientados e formados mais de dois mil trabalhadores. 

 

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br