Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Missão na Ásia e Oriente busca ampliar e buscar novos mercados

Notícias

Missão na Ásia e Oriente busca ampliar e buscar novos mercados

Internacional

Entre os dias 16 e 1º de setembro equipe liderada pelo secretário de Defesa Agropecuária irá à China, Hong Kong, Vietnã e Arábia Saudita
publicado: 14/09/2018 17h23 última modificação: 14/09/2018 18h32

Para ampliar e manter os mercados já conquistados na Ásia e no Oriente, uma missão da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), irá ao Vietnã, China, Hong Kong e Arábia Saudita nos próximos 15 dias (16 a 1º de outubro). Fazem parte da missão o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, além dos diretores das áreas de saúde animal e sanidade vegetal, Guilherme Marques e Marcus Coelho, e o diretor substituto do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, Lúcio Kikuchi.

Segundo o secretário Luis Rangel, “será uma grande viagem para negociar com os importadores tradicionais e para conquistar novos clientes. Vamos fazer três grandes escalas. A primeira delas será no Vietnã (país do sudeste asiático) para tratativas no Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento (MARD) para discutir o comércio de carnes, miúdos e farinhas, buscando a ampliação do número de plantas frigoríficas exportadoras. Os encontros serão realizados no dia 19.

“Na sequência o destino será Hong Kong, onde serão realizadas rodadas de negócios com o Centre for Food Safety (CFS) do governo e com empresários, que serão as mais importantes desta missão, pois aquele país é o maior mercado consumidor de todas os tipos de carnes (bovina, suína e de frango). De 20 a 22 de setembro serão feitas apresentações para as autoridades sanitárias e empresários sobre a rastreabilidade e certificação dos produtos do Brasil, e será mostrado o potencial brasileiro de fornecimento de proteína animal. O Brasil está negociando novo protocolo sanitário com Hong Kong. Nos dias 24 e 25 a escala será em Xangai, onde o setor produtivo fará apresentações do potencial do segmento cárneo.

Em seguida, já em Pequim, na China, entre 26 e 29, será realizada reunião com a área de inspeção e quarentena animal envolvendo a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Cooperação (Cosban). O objetivo das reuniões é criar uma agenda positiva para 2019 e superar questionamentos levantados pelos chineses com relação à febre aftosa e ao Mal da Vaca Louca (BSE). No caso da aftosa, o Brasil vai reafirmar a condição de país livre da doença com vacinação, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em maio deste ano. Para o Mal da Vaca Louca será informado que a condição brasileira é de risco desprezível para a doença, pois não existem casos no país. “Outra agenda importante com os chineses é a tentativa de sair de lá com uma data fechada da próxima missão da China ao Brasil, para a habilitação de novos estabelecimentos de carnes bovinas e de aves. O roteiro já está pré-definido pelo Mapa.

Outra negociação importante na área vegetal é a apresentação dos últimos acertos para abertura do mercado chinês para o melão brasileiro. “Existe uma expectativa grande dos chineses de comprar o melão do Brasil, considerado o melhor do mundo, pois a negociação fitossanitária está acontecendo há bastante tempo e a expectativa é que a gente alinhe os últimos detalhes”, expicou Rangel.

A última escala será em Riadi, na Arábia Saudita, para a equipe fazer uma visita diplomática, a fim de mostrar aos sauditas o cuidado com as exportações destinadas aquele mercado que é o mais importante para a carne de aves do Brasil.

Mais informações à Imprensa:
Coordenação geral de Comunicação Social
Janete Lima
imprensa@agricultura.gov.br