Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Ministério lança programa para prevenir entrada de pragas ausentes no país

Notícias

Ministério lança programa para prevenir entrada de pragas ausentes no país

Prevenção

Iniciativa prevê a criação de planos nacionais específicos de prevenção e vigilância para cada praga considerada como prioritária
publicado: 03/07/2019 10h06 última modificação: 16/07/2019 14h34

Plantações de milho, soja, mandioca, batata, arroz e de várias frutas estão mais protegidas no Brasil. Desde o início de julho, o Programa Nacional de Prevenção e Vigilância de Pragas Quarentenária Ausentes (PNPV), lançado nesta quarta-feira (3) pelo Ministério da Agricultura, reforça as ações de vigilância e pesquisa para evitar a entrada de 20 pragas quarentenárias que não entraram no país.

Essas pragas foram selecionadas em conjunto pela Embrapa e o ministério. Ao todo, a lista oficial tem cerca de 700 espécies entre fungos, insetos, bactérias, vírus, nematoides e plantas daninhas. Com a priorização, será possível desenvolver um trabalho mais focado nas necessidades específicas de cada praga para evitar a introdução e adotar as medidas necessárias para sua erradicação e controle, caso entrem.

A coordenadora-geral de Proteção de Plantas do ministério, Graciane Gonçalves Magalhães Castro, explica que “o programa vai organizar ações mais estruturadas para essas 20 pragas. O ministério vai organizar planos de prevenção específicos para cada uma delas”. De acordo com a portaria que instituiu a iniciativa, esses trabalhos devem incluir educação fitossanitária, capacitação e ações de prevenção e contingência.

Quarentenárias

Praga ou doença quarentenária é todo organismo de natureza animal ou vegetal, ou microrganismo que, estando presente em outros países ou regiões, mesmo sob controle permanente, constitui ameaça à economia agrícola do país ou região importadora exposta. A definição das pragas quarentenárias é coordenada pelo Mapa, que mantém uma lista atualizada de quarentenárias.

Esses organismos são geralmente exóticos e podem ser transportados de um local para outro, auxiliados pelo homem e seus meios de transporte, por meio do trânsito de plantas, animais ou por frutos e sementes infestadas

A entrada de pragas no Brasil pode ocorrer via trânsito de pessoas, animais e mercadorias, através do transporte de plantas, frutos ou sementes infestadas. Um dos fatores facilitadores é a grande extensão da fronteira brasileira, que tem 15.791 km.

Livro

As 20 pragas e doenças que apresentam mais riscos para economia brasileira estão identificadas no livro “Priorização de Pragas Quarentenárias Ausentes no Brasil”. A publicação, elaborada pelo Departamento de Sanidade Vegetal em parceria com especialistas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), será lançada nesta quinta-feira (4).

O principal objetivo do livro é desenvolver uma metodologia para priorizar as pragas de maior potencial de dano, desenvolver planos mais robustos de prevenção e evitar os riscos de entrada de novas doenças para as plantas. A partir da priorização, a publicação quer garantir atenção especial às pragas quarentenárias para o trabalho de vigilância e barreira sanitária, pesquisa e legislação.

Lista

Confira a relação das pragas que serão priorizadas pelo programa. No site da Embrapa, é possível verificar mais informações como onde elas estão presentes no mundo e por que representa uma ameaça para o Brasil

1) African Cassava Mosaic Virus – vírus (mandioca)
2) Anastrepha suspensa – inseto (goiaba)
3) Bactrocera dorsalis– inseto (frutíferas)
4) Boeremia foveata – fungo (batata)
5) Brevipalpus chilensis – ácaro (kiwi, videira)
6) Candidatus Phytoplasma palmae – fitoplasma (coqueiro)
7) Cirsium arvense – planta daninha (trigo, milho, aveia, soja)
8) Cydia pomonella – inseto (maçã)
9) Ditylenchus destructor – nematoide (milho, batata)
10) Fusarium oxysporum f.sp. cubense raça 4 Tropical (R4T) – fungo (banana)
11) Globodera rostochiensis – nematoide (batata)
12) Lobesia botrana – inseto (videira)
13) Moniliophthora roreri – fungo (cacau)
14) Pantoea stewartii – bactéria (milho)
15) Plum Pox Virus – vírus (pessegueiro, ameixeira)
16) Striga spp. – planta daninha (milho, caupi)
17) Tomato ringspot virus – vírus (frutíferas e tomate)
18) Toxotrypana curvicauda – inseto (mamão)
19) Xanthomonas oryzae pv.oryzae – bactéria (arroz)
20) Xylella fastidiosa subsp. fastidiosa – bactéria (videira)

Mais informações à Imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br