Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Mapa intensifica ações para retirada da vacinação contra aftosa na Região Norte

Notícias

Mapa intensifica ações para retirada da vacinação contra aftosa na Região Norte

Saúde Animal

Medidas visam fazer ajustes dos sistemas de gestão, pessoal e infraestrutura
publicado: 02/10/2017 14h12 última modificação: 02/10/2017 14h12

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está intensificando as reuniões com os estados da Região Norte do país para definir as medidas necessárias à retirada da vacinação contra a febre aftosa, a partir de 2019, e a decretação de país livre da doença sem vacinação, em 2023. As ações integram o Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA).

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Guilherme Marques, nos dias 23 e 24 deste mês, será realizada, em Porto Velho, a primeira reunião com os estados de Rondônia, Acre e os vizinhos Amazonas e Mato Grosso, que compõem o bloco1 do PNEFA, além da Bolívia e Peru. “O bloco não engloba necessariamente o estado inteiro. Pode ser apenas parte dele. Por isso, foram incluídos os vizinhos”, explica.

No bloco 2, a reunião será em Manaus, dias 7 e 8 de novembro. Integram este grupo os estados de Amazonas, Amapá, Pará e Roraima, além dos vizinhos Mato Grosso, Goiás e do Tocantins.

Já o bloco 3 se reunirá dias 21 e 22 de novembro, em Natal. Integram o bloco Alagoas, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Piauí, além dos vizinhos Tocantins, Sergipe e Bahia. Os blocos 4 e 5 ficarão para 2018.

Acre e Rondônia

Na semana passada, houve um encontro em Rondônia para definir as atribuições de cada estado e dos países fronteiriços. O Mapa tem realizado auditorias para detectar os pontos vulneráveis nas áreas de pessoal, gestão e infraestrutura de cada estado. O trabalho já foi feito no Acre e está sendo concluído em Rondônia.

“Estive em Rondônia, a convite do governo do estado, e participe de reunião com setor privado e representante do governo do Peru. Há a perspectiva de Rondônia ser o primeiro estado brasileiro a retirar a vacinação contra a febre aftosa, porque faz parte do Bloco 1 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa”, disse Marques.

O objetivo da reunião foi mostrar a necessidade de todos os segmentos discutirem as ações para alcançar o reconhecimento de livre de aftosa sem vacinação. “De modo geral, Rondônia precisa aperfeiçoar seus sistemas de vigilância e fiscalização”, avaliou Marques. O estado tem um rebanho de cerca de 13,7 milhões de cabeças (13,6 milhões de bovinos e 6.148 de bubalinos).

 Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
Janete Pires
imprensa@agricultura.gov.br