Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Mapa e setor de agroquímicos fecham acordo para implantar piloto do OEA Insumos

Notícias

Mapa e setor de agroquímicos fecham acordo para implantar piloto do OEA Insumos

Fiscalização

Até o fim do ano, sistema deve operar, racionalizando importações
publicado: 18/08/2017 16h57 última modificação: 18/08/2017 16h57
Acordo para operar sistema piloto foi aprovado na quarta-feira na Secretaria de Defesa Agropecuária

Acordo para operar sistema piloto foi aprovado na quarta-feira na Secretaria de Defesa Agropecuária

O modelo de Operador Econômico Autorizado (OEA), que visa maior eficiência da fiscalização de cargas e agiliza a oferta de produtos nos mercados, com aplicação, atualmente, na exportação de carnes, será estendido à importação de agroquímicos. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e representantes de sete empresas de agroquímicos decidiram colocar em prática, até o fim do ano, uma experiência piloto de OEA.

O Operador Econômico de agroquímicos (ou de insumos) continuará sendo executado pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, conforme foi definido em reunião realizada nesta quarta-feira (16) entre o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, com representantes do Vigiagro, de entidades empresariais, do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sidiveg) e do Instituto Procomex (de modernização logística).

O OEA-Agro desenvolvido pelo Mapa, é complementar ao programa de Operador Econômico Autorizado da Receita Federal. O objetivo é aumentar a eficiência de fiscalização e ao mesmo tempo reduzir custos, tendo como um dos instrumentos a certificação de empresas que atuam no comércio internacional. Empresas certificadas pelo programa têm maior previsibilidade no trânsito de mercadorias, diminuição de custos portuários e maior velocidade no desembaraço aduaneiro, via fiscalização por gerenciamento de riscos e sistemas de informação.

Luis Rangel destacou que o OEA-Agro Insumos, “além de resultar em vantagem competitiva, permite priorizar recursos de fiscalização nos portos”. Entre importadoras de insumos, observou, o índice de ocorrência de problemas é inferior a 0,5%. “Ainda assim, têm, atualmente, todas as suas mercadorias inspecionadas fisicamente”.

O Operador Econômico de insumos será inserido dentro do Plano Agro+ de desburocratização, simplificação e agilização dos processos do Ministério da Agricultura.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br