Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Governo repassa R$ 3 bilhões do Funcafé para 21 agentes financeiros

Notícias

Governo repassa R$ 3 bilhões do Funcafé para 21 agentes financeiros

Crédito

Neste ano são R$ 4,9 bilhões disponíveis. Nos próximos dias haverá liberação aos demais bancos que operam o fundo
publicado: 07/08/2018 17h24 última modificação: 07/08/2018 17h24

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) repassou, nesta semana, R$ 3 bilhões aos agentes financeiros que operam o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), conforme publicação no Diário Oficial da União.
Os recursos foram transferidos para os bancos ABC Brasil, Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo, BBM, BMG, Bradesco, China Construction Bank, Citibank, Bancoob, Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, Fibra, Itaú Unibanco, Original, RaboBank, Ribeirão Preto, Votorantim, Sicoob Credialp, Sicoob Credicarmo, Sicoob Agrocredi, Sicoob Credivar, Sicoob Coopacredi e Sicoob Credinter.

Os agentes financeiros atuarão na aplicação dos recursos do Funcafé na safra 2018/2019, em financiamentos para as seguintes finalidades de crédito: custeio, estocagem, aquisição de café, capital de giro para indústrias de café solúvel e de torrefação de café, cooperativas de produção e recuperação de cafezais danificados.

As liberações para 21 instituições financeiras contratadas pelo Funcafé, de um total de 37 bancos, somam R$ 1,86 bilhão para a linha de financiamento de estocagem, R$ 1,1 bilhão para custeio, R$ 1 bilhão para aquisição de café (FAC), R$ 200 milhões para capital de giro a indústrias de café solúvel, R$ 300 milhões para torrefação e R$ 425,2 milhões para as cooperativas de produção, além de R$ 10 milhões para recuperação de cafezais danificados. Nos próximos dias, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinará contrato com os outros 16 bancos.

Neste ano, o Funcafé dispõe de R$ 4,9 bilhões  para financiar o setor do agronegócio do café. As taxas de juros foram definidas no lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, no início de junho deste ano. As taxas de financiamentos de custeio e estocagem foram fixadas em até 7% ao ano e até 9,5% a.a. para FAC e linhas de capital de giro, para as cooperativas e indústrias do setor.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de comunicação social
Inez De Podestà
imprensa@agricultura.gov.br