Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Ministério participa a partir de hoje do Congresso Mundial da Vinha e do Vinho

Notícias

Ministério participa a partir de hoje do Congresso Mundial da Vinha e do Vinho

Viticultura

Representantes vão tratar, entre outros temas, da presença de água na bebida
publicado: 12/07/2019 12h23 última modificação: 15/07/2019 11h57
Taças de vinhos branco, rose e tinto

Taças de vinhos branco, rose e tinto

A Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) promove nesta semana, de segunda (15) até sexta-feira (19), o 42º Congresso Mundial da Vinha e do Vinho, em Genebra (Suíça). Serão tratados temas como a viticultura, enologia, direito e economia, segurança e saúde, por comitês científicos formados por profissionais vinculados à pesquisa, regulamentação e produção de vinhos e derivados de 47 países membros.

O Brasil é representado na OIV por Carlos Vitor Müller, coordenador geral de Vinhos e Bebidas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Müller é agrônomo, mestre cervejeiro certificado pelo VLB-Berlin (instituto de pesquisa, treinamento, educação e serviços para a indústria cervejeira), com mestrado em tecnologias químicas e biológicas.

Segundo o coordenador, “um dos objetivos da sua participação no evento é o de buscar alternativas analíticas para o controle da água no vinho”.

A produção, circulação e comércio de vinhos e derivados da uva e do vinho no país são regulados pela Lei 7.78/88 e pelo decreto regulamentador 8.198/2014, sendo atribuição da coordenação junto à Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), implementando ações de fiscalização, padronização e regulamentação dessas bebidas. Nos estados a fiscalização é executada pelos auditores fiscais, lotados nos serviços de inspeção de vinhos e bebidas das superintendências do Mapa.

Também participará do congresso, que é realizado anualmente, a auditora fiscal Luciana Pich Gomes, farmacêutica e pós-graduada em toxicologia, com expertise em tecnologia de produção de vinhos e cervejas e em análise de risco na indústria alimentícia.

De acordo com Müller, a presença de representantes do ministério visa também fundamentar o tratamento de assuntos do setor vitivinícola nacional. Temas como o controle da presença de água exógena em vinhos, que serão tratados nas reuniões técnicas e nas assembleias, estão sendo objeto de revisão no país, conforme a Portaria 79/2019 e consulta pública.

Brasileira preside a entidade

A OIV está sendo presidida pela brasileira Regina Vanderlinde, eleita no ano passado. A candidatura foi coordenada pela Secretaria de Relações Internacionais do Mapa, em conjunto com Ministério das Relações Exteriores e com o setor vitivinícola do país, tendo em vista a importância da atividade para o país.

Vanderlinde é enóloga, professora na Universidade de Caxias do Sul, formada em Farmácia Bioquímica, Tecnologia de Alimentos, pela Universidade Federal de Santa Catarina e doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux.

Foi eleita tendo entre seus objetivos aumentar a participação e o trabalho junto ao Codex Alimentarius para o desenvolvimento de novos padrões internacionais, a fim de melhorar as condições de desenvolvimento e comercialização de produtos do setor.

 

Mais informações à Imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br