Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Pela primeira vez, Festival Tambaqui da Amazônia é realizado na Esplanada dos Ministérios

Notícias

Pela primeira vez, Festival Tambaqui da Amazônia é realizado na Esplanada dos Ministérios

Peixe da Amazônia

Seis toneladas do peixe serão assadas e distribuídas ao público a partir das 12h
publicado: 06/08/2019 17h50 última modificação: 08/08/2019 13h52

Pela primeira vez, o Festival Tambaqui da Amazônia será realizado nesta quarta-feira (7) na Esplanada dos Ministérios. Seis toneladas de tambaqui (o equivalente a 4 mil bandas) serão assadas e distribuídas ao público a partir das 12h. As churrasqueiras de chão ficarão instaladas no canteiro central, perto do bloco D, sede do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (Veja abaixo como participar do evento).

Um dos objetivos do festival é tornar mais conhecido o peixe amazônico – rico em proteína - e também estimular o hábito de consumo de pescados entre os brasileiros. O evento tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Ao conceder entrevista nesta terça-feira (6) sobre o festival, o secretário de Aquicultura e Pesca do Mapa, Jorge Seif Júnior, destacou que o brasileiro consome 10 quilos de pescado por ano. A média mundial é o dobro: 20 quilos por ano.

“O brasileiro precisa despertar para a qualidade do pescado brasileiro. Nós, enquanto nação, como país com maior quantidade de recursos hídricos do mundo, não podemos continuar sendo importadores de pescado. Precisamos incentivar a produção nacional, o consumo. As crianças brasileiras precisam conhecer o peixe brasileiro”, disse o secretário.

De acordo com Seif, o Brasil importou em 2018 US$ 1,3 bilhão de pescados de países como Vietnã, Rússia e Argentina. Já as exportações somaram US$ 261 milhões. Para estimular o setor, a secretaria trabalha para facilitar o acesso do produtor ao crédito, desburocratizar normas e reduzir barreiras ambientais. “Acabar com essa esquizofrenia de leis que não têm sentido”, afirmou o secretário.

A ideia do evento surgiu do “Churrasco de Tambaqui”, realizado há três anos no município de Ariquemes (RO).  O governador de Rondônia, Marcos Rocha, destacou que o estado é o maior produtor de peixes nativos em cativeiro, principalmente a espécie tambaqui (Colossoma macropomum). O tambaqui é criado em tanques escavados, não havendo pesca predatória (a espécie não é retirada dos rios).

Marcos Rocha disse ainda que representantes das embaixadas, localizadas em Brasília, foram convidados para o festival. “Quem prova o tambaqui, aprova”, brincou.  

Os peixes do festival foram doados pela Associação de Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar), Zaltana Pescados e Agrofish.

O presidente da Acripar, Francisco Farina, informou que cerca de 40 produtores de Rondônia doaram os peixes, trazidos em caminhão frigorífico. A viagem durou três dias. Conforme Farina, a expectativa dos criadores é que o governo federal continue adotando ações para aprimorar a cadeia produtiva. Em 2018, a comercialização do tambaqui movimentou de R$ 450 milhões a R$ 500 milhões no estado.

O festival tem o apoio do governo do Distrito Federal e do Sebrae. Participaram também da entrevista: o secretário de Agricultura de Rondônia, Evandro Padovani; o secretário de Agricultura do Distrito Federal, Dilson de Almeida; e o diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, Eduardo Diogo.

Como participar do festival

- O tambaqui começará a ser distribuído a partir das 12h, no canteiro central da Esplanada dos Ministérios, perto do bloco D (sede do Mapa). O peixe será assado e entregue em uma embalagem de papelão.

- Para participar, o interessado precisa doar um quilo de alimento não perecível e receberá uma senha.

- A previsão é arrecadar 4 mil quilos de alimentos, que serão doados a instituições de caridade.

 

*Texto atualizado dia 8/8 às 14h para correção de informações sobre números de exportações e importações de pescados

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br