Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Em Genebra, Novacki estima que venda de carnes ao exterior subirá 3% neste ano

Notícias

Em Genebra, Novacki estima que venda de carnes ao exterior subirá 3% neste ano

Internacional

Secretário-executivo do Mapa participa de reunião do Codex Alimentarius, onde defende candidatura de servidor do Mapa à presidência da entidade ligada à FAO
publicado: 11/07/2017 16h59 última modificação: 11/07/2017 18h51
Divulgação/Mapa Novacki com o representante permanente da União Europeia junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), Paolo Garzotti

Novacki com o representante permanente da União Europeia junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), Paolo Garzotti

Em Genebra, onde participa do Codex Alimentarius, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eumar Novacki, estimou nesta terça-feira (11), que a venda de carnes brasileiras (bovina, suína e de aves) ao mercado externo poderá crescer 3% neste ano. Missões internacionais, que foram intensificadas nos últimos meses, têm servido para consolidar e ampliar negócios nos mercados consumidores, explicou.

Durante reuniões bilaterais realizadas em Genebra, o secretário-executivo do Mapa fez questão de ressaltar as providências adotadas para assegurar a qualidade dos produtos produzidos no Brasil. Como exemplo, citou a modernização dos procedimentos relacionados à produção de proteína animal e também da legislação do setor, como aconteceu com o Riispoa (Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem AnimaI), que foi atualizado em março passado.

Outro aspecto destacado pelo secretário-executivo, foi a criação do programa de compliance do ministério, visando aumentar o controle sobre os procedimentos internos e a relação dos fiscais com os produtores. Novacki disse ainda que a intenção do Mapa é estimular as empresas do setor a criarem suas regras de compliance.

Novacki disse que "o agronegócio é setor prioritário da economia brasileira do país e um dos protagonistas no comércio internacional, com potencial de crescimento”. O secretário reiterou a meta de atingir 10% de participação no mercado global em cinco anos. “É ousada, mas possível”, frisou. Hoje, o Brasil tem quase 7% da fatia do mercado de produtos agropecuários do mundo.

O secretário tem participado, durante esta viagem, de encontros bilaterais com representantes dos principais parceiros comerciais e de organismos internacionais para falar sobre a qualidade e segurança dos alimentos produzidos no Brasil. Novacki também quer reforçar o apoio à candidatura brasileira de Guilherme Costa, coordenador de Assuntos Multilaterais da Secretaria de Relações Internacionais do Mapa à presidência do Codex.

O Codex Alimentarius é entidade vinculada à FAO (Organizacão das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentacão), que trata dos padrões, diretrizes e recomendações para a segurança, qualidade e comércio leal de alimentos entre os 188 países membros. A elaboração de normas que reflitam o desenvolvimento tecnológico do setor de alimentos – decisivas à inocuidade dos produtos – e que facilitem o comércio justo, sem barreiras sanitárias, é defendida pelo brasileiro. É a primeira vez que o Brasil concorre ao cargo.

Para Novacki, "a presidência do Codex é uma grande oportunidade para que o Brasil busque uma participação mais efetiva nas organizações internacionais que lidam com o setor agropecuário", afirmou. O secretário teve encontro com o representante permanente da União Europeia junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), Paolo Garzotti, e visitou o diretor-geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br