Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Em Congresso de municípios, ministro interino defende visão moderna de gestão

Notícias

Em Congresso de municípios, ministro interino defende visão moderna de gestão

Modernização

Ao discursar sobre o tema, Novacki lembrou o sucesso do Agro+ e a implementação do programa de compliance
publicado: 31/08/2017 16h24 última modificação: 31/08/2017 18h40
Agro+, selo de integridade e compliance foram abordados pelo ministro interino

Agro+, selo de integridade e compliance foram abordados pelo ministro interino

O ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, defendeu, durante o XI Congresso de Municípios do Noroeste Paulista, em São José do Rio Preto (SP), que a administração pública tenha uma visão moderna de gestão. “Precisamos focar em resultados”, disse Novacki, lembrando que o ministério trabalha nessa direção por meio de iniciativas como a do Plano Agro+, lançado há um ano. Desde então, o Mapa promoveu 588 modificações em normativos e reformulou procedimentos, simplificando ações e reduzindo custos. O tema do Congresso era Os novos caminhos da gestão pública – Aqui, o Brasil dá certo.

É muito importante saber onde queremos chegar, afirmou o ministro interino. No caso do agronegócio, declarou, “a meta é ampliar a participação do Brasil no mercado internacional de 7% para 10%”.

Selo de Integridade

A crise provocada pela Operação Carne Fraca, no início deste ano, teve um lado importante, lembrou, que foi o de aproveitá-la para promover mudanças nos sistemas de controle, que se tornaram ainda mais rigorosos. Também foi a partir do episódio, a decisão de realizar “um grande pacto pela integridade no setor agrícola do país”.

“O programa de compliance, com o objetivo de evitar a prática de ilícitos, será uma grande virada de página na nossa história”, declarou. O programa está em andamento e deverá vigorar no próximo ano. Para estimular o setor produtivo a integrar o programa, será criado o selo Agro+ Integridade. “Para ter direito ao selo, as empresas devem ter seu próprio programa de controle, como o Mapa, produzir com sustentabilidade e com responsabilidade social. Ele servirá para demonstrarmos nos mercados interno e externo que produzimos como alto padrão de qualidade. E acredito que, em muito pouco tempo, se tornará uma grande referência para os produtores”.

 

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br