Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conab prevê supersafra de 232 milhões de toneladas de grãos

Notícias

Conab prevê supersafra de 232 milhões de toneladas de grãos

Recorde no campo

Número representa aumento de 45,4 milhões de toneladas em relação à colheita passada
publicado: 11/05/2017 13h19 última modificação: 11/05/2017 13h19
Sílivo Ávila/Mapa

O Brasil deve ter uma supersafra de grãos em 2016/2017. A projeção é que a colheita chegue a 232 milhões de toneladas, com aumento de 24,3% ou 45,4 milhões de toneladas frente às 186,6 milhões de t da temporada passada. O recorde foi anunciado pelo Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quinta-feira (11), com a divulgação do 8º levantamento da atual safra. Milho e soja correspondem a quase 90% da produção no país.

Segundo a Conab, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a supersafra se deve ao crescimento de área e às boas produtividades médias. A previsão é de ampliação de 3,5% na área total, podendo chegar a 60,4 milhões de hectares, incluídas as culturas de segunda e terceira safras.

De acordo com o secretário-adjunto de Política Agrícola do Mapa, Sávio Pereira, a projeção da Conab indica um novo patamar de produtividade. “Não só por questões de clima, mas também de tecnologia, de sementes. Essa produtividade é representada por 3 mil e 400 quilos por hectares, em média.”

Os números apresentados pelo Conab, destacou Sávio Pereira, também são muito importantes para mostrar à sociedade a dimensão da agricultura. A produção agrícola, acrescentou, tem reflexos nos números da inflação, da balança comercial, no emprego. “São 45 milhões de toneladas a mais”, enfatizou.

Soja e milho

A soja deve ter um crescimento de 18,4% na produção, devendo atingir 113 milhões de toneladas, com ampliação de 1,8% na área plantada, que pode chegar a 33,9 milhões de hectares.

O milho total deve alcançar 92,8 milhões de toneladas, 39,5% acima da safra 2015/2016. A estimativa é de 30,2 milhões de toneladas para a primeira safra e de 62,7 milhões para a segunda. A área total de milho deve ser de 17,2 milhões de hectares, o que representa uma ampliação de 8,3%.

A produção do feijão primeira safra deve alcançar 1,38 milhão de toneladas, resultado 33,5% superior ao ciclo 2015/2016. Já o segundo ciclo deve produzir 1,26 milhão de toneladas, sendo 624 mil do grão cores, 219,1 mil do preto e 415,4 mil do feijão caupi. O feijão total teve atingir uma produção de 3,3 milhões de toneladas, com área de 3,1 milhões de hectares.

A produção de algodão em pluma deve crescer 15,5%, podendo chegar a 1,5 milhão de toneladas, apesar da estimativa de redução de 1,6% na área cultivada.

Culturas de inverno

As projeções para esses cultivos indicam queda de 7,8% na área de trigo. A previsão é de que seja plantado 1,95 milhão de hectares, contra 2,1 milhões de ha na safra passada. Com isso, a produção deve chegar a 5,2 milhões de toneladas, uma redução de 22,3% frente às 6,7 milhões de t de 2016. As outras culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada e triticale) também sofrem perda na produção, mesmo com alguns aumentos de área, como no caso da aveia e da cevada.

A pesquisa foi realizada no período de 23 a 29 de abril em todas as regiões produtoras, quando foram consultadas diversas instituições e informantes cadastrados em todo o país.

Veja aqui o levantamento completo.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/ 6344/ 6393/ 2256
imprensa@conab.gov.br