É necessário utilizar um navegador com suporte a javascript para poder navegar em algumas funcionalidades do portal.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA 

Enter your user name and password to login.
User Name
Password

Página Inicial > Sala de Imprensa > Notícias > Noticia Aberta

Notícias


08/03/2016 18:18 Comércio exterior

Exportações para a China quase dobram em fevereiro

Embarques dos produtos agrícolas somaram US$ 1 bi, com destaque para a soja

A China é hoje a principal parceira do agronegócio brasileiro. Dados da balança comercial do setor – divulgada esta semana pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – mostram um crescimento expressivo nas importações chinesas de produtos agropecuários do Brasil. As exportações quase dobraram em fevereiro último, em relação ao mesmo período de 2015, passando de US$ 513,5 milhões para US$ 1 bilhão, o que representa uma alta de 94,9%.  Em volume, as compras do mercado chinês saltaram de 997,5 milhões de toneladas para 2,3 bilhões de toneladas, na comparação entre os dois meses.


Soja lidera as vendas externas para o mercado chinês (RR Rufino/Embrapa)

A soja em grão é o carro-chefe das exportações brasileiras para a China. Em fevereiro deste ano, os embarques do produto somaram US$ 555,3 milhões (1,59 milhão de toneladas), ante US$ 193,2 milhões (492,7 mil toneladas) de igual mês do ano passado. Em segundo lugar, aparece a celulose, que passou de US$ 136,7 milhões (292,1 mil t) para US$ 166,4 milhões (372,6 mil t), na comparação dos dois períodos. O açúcar de cana ou beterraba ocupa a terceira posição: de US$ 38 milhões (121,3 mil t) para US$ 61,7 milhões (221,6 mil t). A seguir, vêm os couros e peles de bovinos, com vendas externas de 53,4 milhões (17,1 mil t) no mês passado.

Carnes de frango e bovina

As carnes também estão entre os produtos brasileiros mais importados pelos chineses. A carne de frango ocupa a quinta posição no ranking das exportações agropecuárias brasileiras para aquele mercado. As vendas do produto saíram de US$ 40,6 milhões (20,5 mil t), em fevereiro de 2015, para US$ 52 milhões (30 mil t), no mês passado.

Em sexto lugar está a carne bovina, que voltou a ser comprada pela China desde o final do ano passado. As vendas do produto alcançaram US$ 47,5 milhões em fevereiro último, o equivalente a 11,1 mil toneladas. Em dezembro de 2012, o governo chinês embargou a carne bovina brasileira, por causa de notificação do caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) no Paraná. No primeiro semestre de 2014, o país asiático suspendeu as restrições. No ano passado, foram habilitados frigoríficos do Brasil para exportar carne bovina para a China. E os maiores volumes começaram a ser registrados a partir deste ano.

A viagem da ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) à China, em novembro de 2015, foi decisiva para ampliar o número de estabelecimentos exportadores de carnes. “O mercado chinês, tendo em vista a sua qualidade e competitividade da carne bovina brasileira, é o maior entre todos os outros importadores do produto”, diz o diretor de Negociações Não Tarifárias da SRI, Odilson Silva.

Cereais, papel, algodão e produtos têxteis e madeira completam a lista dos dez principais itens da pauta de exportação agrícola do Brasil para a China. Em fevereiro último, os embarques de cereais atingiram US$ 14,5 milhões (88,7 mil t). Já as vendas de papel somaram US$ 9,2 milhões (11,5 mil t), as de algodão e produtos têxteis, US$ 7,9 milhões (5,4 mil t) e as de madeira, US$ 6,1 milhões (18,7 mil t).

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de comunicação social
João Carlos Rodrigues
imprensa@agricultura.gov.br
 


Palavra chave: China Brasil exportações agronegócio soja em grãos carne bovina frango produtos agropecuários


Últimas Notícias


Atendimento ao Agricultor 0800 704 1995

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Esplanada dos Ministérios - Bloco D - Brasília/DF - CEP: 70.043-900 - Fone: (61)3218-2828