Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Vigilância Agropecuária > Passageiro e bagagem

Orientações para o viajante

Qualquer produto de origem animal ou vegetal só pode entrar no Brasil se submetido à análise de riscos sanitários e fitossanitários pelo Ministério da Agricultura e deve obedecer os requisitos de identidade e qualidade correspondentes. Além disso, é exigida a apresentação do certificado expedido pelo país de origem.

Ao ingressar com um produto no Brasil, o viajante precisa apresentar a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), formulário unificado de controle e fiscalização dos órgãos da administração federal, que atuam nos portos, aeroportos e pontos de fronteiras alfandegárias. É com base na DBA que os fiscais federais agropecuários inspecionam bagagens.

As orientações estão especificadas no Manual de Procedimentos Operacionais do sistema, considerado uma bússola para os fiscais federais agropecuários e demais usuários do Vigiagro. Os produtos apreendidos podem ser destruídos, segundo determina a Instrução Normativa nº 36 de 2006.

Conheça abaixo os produtos agropecuários que NÃO PODEM ingressar no País sem prévia autorização do Vigiagro e/ou certificação sanitária.

-Proc. Espec. Terminais de Passageiros

-Proc. Espec. Remessas Postais Internacionais

-Proc. Espec. Veículos em Trânsito

-Proc. Espec. Bagagens Diplomáticas

• Frutas e hortaliças frescas
• Insetos, caracóis, bactérias e fungos
• Flores, plantas ou partes delas
• Bulbos, sementes, mudas e estacas
• Animais de companhia (cães e gatos)
• Aves domésticas e silvestres
• Espécies exóticas, peixes e pássaros ornamentais e abelhas
• Carne de qualquer espécia animal, in natura ou industrializada (embutidos, presunto, salgados, enlatados

• Leite e produtos lácteos
 • Produtos Apícolas (mel, cera, própolis, etc)
 • Ovos e derivados
 • Sêmen, embriões, produtos biológicos, veterinários (soro, vacinas)
 • Alimentos para animais
 • Terras
 • Madeiras não tratadas
• Agrotóxicos
• Material biológico para pesquisa científica, entre outros.