Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros - PNCRH

One Health

 O PNCRH tem como objetivo manter sob controle a incidência da Raiva na população de herbívoros domésticos, com a seguinte estratégia de atuação:

- Desenvolver suas atividades considerando o conceito de Saúde Única, trabalhando em parceria com o Ministério da Saúde no diagnóstico da Raiva e na proteção da Saúde Pública e com o do Meio Ambiente respeitando as Leis de Proteção da Fauna;

- Vigilância ativa em áreas de maior risco de Raiva;

- Investigação epidemiológica e laboratorial de todos os casos suspeitos de raiva em herbívoros domésticos e em morcegos;

- Diagnóstico laboratorial acessível a todos os casos suspeitos;


- Vacinação estratégica dos herbívoros domésticos;

 - Uso da pasta anticoagulante em animais espoliados por morcegos, nos rebanhos de maior risco de Raiva;

- Monitoramento de morcegos hematófagos visando detecção de atividade viral nas colônias;

 - Comunicação de Risco nas áreas de maior risco e Gerenciamento da Indignação, Educação em Saúde e Orientação Preventiva em saúde nas demais.

Como notificar casos suspeitos e enviar as amostras para diagnóstico de Raiva

A notificação deve ser realizada aos Serviços Veterinários Oficiais dos Estados -SVEs, ou nas Secretarias Municipais de Saúde - SMS para as providências necessárias. A notificação pode ser feita pessoalmente, por telefone ou por e-mail enviando o FORM-NOTIFICA.


FORM-NOTIFICA

FORM-NOTIFICA : Clique na imagem para baixar o Formulário para notificar presença de animais mortos ou com sinais de Raiva e clique AQUI para ler o instrutivo de como preencher o formulário.


Form-SN

FORM-SN: Clique na imagem para baixar o Formulário para encaminhar amostras para exames de Raiva e, clique AQUI para ler o instrutivo de como preencher o formulário.

Como coletar amostras para enviar ao laboratório

material infectante

  Veja as imagens e instrutivo de como coletar amostras de tecido nervoso para Diagnóstico de Raiva.

NOVO!!!

ATENÇÃO: Para diagnóstico de Raiva e de EETs – Encefalopatia Espongiformes Transmissíveis Encefalopatia Espongiforme Bovina e Scrapie, o material deve ser mantido sob refrigeração 

Onde notificar casos suspeitos e enviar as amostras para diagnóstico de Raiva

Obs:   Balões azuis: Serviços Veterinários Estaduais

           Balões verdes: Superintendências Federais da Agricultura

Dados históricos e situação da raiva no Brasil

Principais Normas : Clique nas imagens e acesse as legislações.


Lei n° 5197, de 3 de janeiro de 1967.

Proíbe a caça de quaisquer espécies silvestres.


IBAMA - IN n° 141 de 19 de dezembro de 2006.

Regulamenta o controle e o manejo ambiental da fauna sinantrópica nociva.

MAPA - Instrução Normativa nº 5, de 1º de março de 2002.

Aprova as Normas  para o controle da raiva dos herbívoros e inclui a Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE), a Paraplexia Enzoótica dos ovinos (Scrapie) e outras doenças com sinais nervosos de caráter progressivo no sistema de vigilância da raiva dos herbívoros 

4.png

MAPA - Instrução Normativa SDA nº 69, de 13 de dezembro de 2002.


Determina o uso de um selo de garantia (holográfico) nos frascos de vacinas contra a raiva dos herbívoros das partidas aprovadas e liberadas para comercialização pelo Mapa.



MAPA - Portaria SDA nº 168, 27 de setembro de 2005

Aprova o Manual Técnico para o Controle da Raiva dos Herbívoros, Edição 2005

Material de divulgação

Clique nas imagens abaixo para obter os cartazes para impressão.

Cartaz1.jpg

Cartaz2.jpg

Cartaz3.jpg

Cartaz4.jpg

Como utilizar os cartazes

Esses cartazes foram feitos pensando em dois públicos alvos:

População das cidades

Cartaz nº1. Todo e qualquer cidadão que tenha visto ou encontrado morcegos voando de dia ou morto em seu quintal ou residência, especialmente àquelas pessoas que têm cães e gatos e que possam ver seus animais caçando morcegos, devem informar a Secretaria Municipal de Saúde ou o Serviço Veterinário Oficial.

Assim sendo, recomenda-se a fixação desse cartaz em escolas públicas, postos de Saúde, Faculdades de Medicina Veterinária, estações de ônibus enfim, em lugares de grande circulação de pessoas.

Produtores Rurais

Cartazes nº2, 3, 4: Produtores Rurais que têm animais que são criados em regiões de maior risco de espoliação pelos morcegos hematófagos e que podem se contaminar com o vírus da Raiva. Esses produtores devem: fazer o controle dos morcegos usando a pasta anticoagulante ao redor das feridas dos animais provocadas pelos morcegos; fazer vacinação antirrábica preventiva e, informar a presença de animais mortos (morcegos, bovinos, equinos, suínos etc.) ou com sinais de raiva, para o Serviço Veterinário Oficial.

Assim sendo, recomenda-se a fixação desses 3 cartazes juntos em Casas Agropecuárias, Cooperativas, Faculdades de Medicina Veterinária, Unidades Veterinárias Locais, Escritórios da EMATER.

 No rodapé esquerdo dos cartazes, há espaço para escrever, de forma legível, o endereço e contato da Unidade Veterinária Local que atende o município onde estão afixados os cartazes.

Sugere-se a impressão anual dos cartazes com apoio do Estado/Municípios ou da Iniciativa privada de forma para que se mantenham legíveis os conteúdos.

Ações dos Médicos Veterinários no PNCRH

INFOGRAFICO MV